Menu Button

A inteligência artificial melhora as viagens de negocios

As tecnologias digitais e particularmente os sistema de inteligência artificial (IA) estão a transformar o mundo das viagens de negócios. Com estas tecnologias é possível reservar voos de forma ainda mais rápida e simples, controlar a bagagem nas várias fases da viagem, obter orientações de GPS e informar os viajantes de negócios em caso de atrasos ou alterações nos voos.

Abordamos algumas das principais áreas nas quais a inteligência artificial irá desempenhar um papel importante no futuro próximo, desenvolvendo ainda mais a qualidade da experiência das viagens de negócios.

 

Em que área concreta é que a tecnologia está a melhorar as viagens de negócios?

Assistência ao voo

Quando um viajante de negócios adere a um programa de passageiro frequente, os sistemas de inteligência artificial podem processar os seus dados com o intuito de recomendar o lugar ideal no avião com base nas suas preferências em viagens anteriores.

Outra das aplicações práticas da inteligência artificial passa pelas atualizações de estado dos voos: sempre que existir um cancelamento ou uma alteração do itinerário, é possível informar rapidamente os passageiros e fornecer-lhes opções de reserva alternativas para minimizar o inconveniente. Estas novas opções são uma transformação no sentido da assistência completa, que inclui transportadoras aéreas e assistentes digitais.

Através dos sistemas de chatbot (bot de conversação), algumas empresas já oferecem um verdadeiro assistente digital que envia os bilhetes aos passageiros automaticamente, notifica-os do início do embarque e indica-lhes o número do tapete onde podem recolher a sua bagagem. E, uma vez que habitualmente estes serviços estão disponíveis através de programas como o Skype ou Messenger, que já estão instalados no telemóvel do passageiro, é possível utilizá-los sem sequer fazer o download de mais uma app.

Este tipo de plataformas, desenvolvidas por empresas como o Grupo Star Alliance, foram criadas para servir um objetivo comum: ajudar os viajantes a sentirem-se seguros e a estarem bem informados sobre cada aspeto do seu voo e viagem.

Graças a mais um passo em frente, já existem aeroportos que dedicam terminais inteiros à inteligência artificial: por exemplo, o terminal 4 do aeroporto de Singapura é totalmente digitalizado e automatizado, desde o processo de check-in ao registo de bagagem, controlos de segurança e embarque de passageiros.

 

 

Automatização do check-in no hotel

Os viajantes de negócios valorizam os serviços que contribuem para a sua eficiência. Uma das situações na qual os sistemas de IA são bastante valorizados consiste na possibilidade de os viajantes poderem fazer o check-in no hotel através do telemóvel e não na receção.

Utilizando uma app que permite efetuar o check-in no hotel, os viajantes podem escolher diversas caraterísticas do seu quarto antes de chegarem ao local: desde o número do piso, à distância em relação ao elevador, passando pelas configurações de temperatura e iluminação. A comunicação destas preferências durante a viagem pode acelerar o processo no hotel e ajudar os viajantes a obterem de forma rápida o alojamento personalizado que pretendem.

Rececionista virtual

Muitos hotéis adotaram já um sistema de assistência virtual que permite dar resposta às perguntas mais frequentes. Qualquer que seja o momento em que os hóspedes pretendam saber a palavra-passe do wi-fi, pedir o jantar no quarto ou efetuar o pedido de check-out, o rececionista virtual presta assistência imediata, a qualquer altura do dia ou da noite. O hotel Jupiter Next, em Portland, utiliza um dispositivo designado Roxy que permite aos hóspedes obterem informações meteorológicas, pedirem toalhas extra, obterem sugestões sobre os melhores restaurantes locais, ouvirem música do seu artista preferido e usufruírem de muitos outros serviços.

Outras cadeias hoteleiras estão já a testar sistemas robóticos que podem ajudar a automatizar o serviço de quartos, a gestão do armazém e as operações de limpeza dos quartos, por exemplo, através da colaboração no transporte de toalhas e resíduos entre os diferentes pisos.

 

Outras ferramentas úteis

Arrastar bagagens de um lado para o outro através do aeroporto pode ser cansativo. Uma das soluções para este desafio é um trólei automático alimentado a baterias e utilizado para transportar bagagem. Ovis é o nome de um novo sistema que utiliza uma câmara e a inteligência artificial para seguir o passageiro pelo aeroporto evitando os obstáculos. O proprietário da bagagem utiliza uma pulseira ligada ao sistema do trólei e que envia um alerta caso o carrinho se afaste mais de dois metros. E se, mesmo assim, um Ovis se perder, é possível localizá-lo através do sistema GPS integrado.

Outra das ferramentas úteis durante uma viagem de negócios é a possibilidade de criar relatórios automáticos utilizando inteligência artificial. O sistema fotografa e faz a leitura dos recibos e, posteriormente, compila os vários itens de despesa de forma automática. Assim, após o regresso, o viajante apenas precisa de conferir o relatório.

Graças a estes e outros sistemas suportados pela inteligência artificial, a gestão de viagens tenderá a ser cada vez mais inteligente e eficiente, o que se refletirá na melhoria da qualidade de vida dos viajantes de negócios frequentes e permitirá às empresas controlar melhor os seus custos e reduzir as despesas administrativas. Automação, tecnologia, novos serviços: o futuro está a avançar rapidamente nesta direção e são cada vez mais os profissionais que se mostram recetivos a tirar partido destes desenvolvimentos.

 

Descubra o programa gratuito para empresas PartnerPlusBenefit que pretendem continuar a melhorar a experiência de viagem de negócios dos seus colaboradores, sem descurarem um olhar atento para a otimização dos custos.

 

PartnerPlusBenefit

Publicado:

Voltar